Logan: Hugh Jackman encerra seu papel como Wolverine

Em seu terceiro filme solo, o mutante de expressão fechada e sempre mau humorado, talvez o mais famoso da franquia X-Men, o Wolverine, vive desmotivado, cansado, afetado nitidamente por marcas do passado e pela idade avançada, em Logan, filme que Hugh Jackman se despede do personagem, nos deparamos com um drama cheio de conflitos, problemas e poucos mutantes, com uma trilha sonora um pouco fraca se compararmos aos trailers que precederam o longa-metragem, o filme ganha espaço, empolga e compensa nas cenas de ação bem intensas, violentas, realistas e os conflitos vividos pelos personagens.

Logan deixa um pouco a fantasia dos heróis de lado e apela para a parte mais humana de seus personagens, com bons diálogos e abusando dos palavrões, Hugh Jackman se despede após 17 anos de seu personagem mais emblemático e da maneira mais intensa que o consumidor de bebidas alcoólicas Wolverine poderia fazer. Seus coadjuvantes não deixam por menos, como a pequena Dafne Keen que vive a mutante X-23, com um rosto muito expressivo e boa atuação consegue cativar e criar uma torcida para sua personagem.

Não sei se essa última aventura empolga tanto como os últimos filmes de heróis lançados pela Marvel, apesar de seguir a proposta dos seus dois primeiros filmes Wolverine: Origem e Wolverine: Imortal, é uma aposta um pouco diferente e dramática da empresa. Por fim Logan vale a pena, acredito que ficou um pouco extenso para um filme de herói, mas talvez na medida certa para um drama.


Veja o primeiro poster de divulgação do longa no Facebook:


Confira abaixo dois dos trailers empolgantes feitos para o filme:




Comentários


    Não há nenhum comentário para este artigo, seja o primeiro a comentar

Faça o Login para comentar clicando AQUI